Devocionário

DIRIGENTE: Pelo sinal da santa cruz, livrai-nos Deus, nosso Senhor dos nossos inimigos. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
TODOS: Amém.

T: Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor; Enviai Senhor o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.
D: Oremos: Ó Deus, que instruístes os corações de Vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito, e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo nosso Senhor.
T: Amém.

D: Estamos na presença de Deus, Santíssima Trindade.
T: Adoramos ao Pai, consagrando-Lhe a criação e nosso corpo; adoramos ao Filho, consagrando-Lhe nossa inteligência e nossa razão; adoramos ao Espírito Santo, consagrando-Lhe nosso coração e nossa vontade.

(pausa)

D: Senhor,
T: Purificai minha mente e meu coração de todos os pensamentos e sentimentos vãos, iluminai minha inteligência e inflamai minha vontade. Dai-me a serenidade e a atenção necessárias para que eu possa meditar e acolher os vossos ensinamentos e praticá-los devidamente. Coração Sacratíssimo de Jesus, nós confiamos em Vós. Virgem Senhora das Graças, São José, Santa Teresinha, São João Bosco, Santos e Santas de Deus, intercedei por nós.

(Proclama-se duas leituras, preferentemente do Ofício das Leituras seguidas de 15 minutos de silêncio)

D: Bendigamos ao Senhor.
T: Graças a Deus.

(De pé canta-se um hino da Sociedade a Nossa Senhora das Graças.)

(Preferível após as Laudes)

D: Nós vos adoramos Trindade Santíssima,
T: Pai e Filho e Espírito Santo porque nos criastes e de modo admirável nos salvastes. Nós vos louvamos Pai Santo porque fomos amados primeiro, consagrados a Vós por meio de Jesus Cristo que nos salvou e fez de nós membros do povo eleito, santificados pelo Divino Espírito. Apesar das nossas fraquezas, reconhecemos a incomparável dignidade de filhos, agraciados pelo batismo e chamados à Vida Religiosa. Renovamos nossa incondicional entrega a Vós para seguir a Jesus Cristo obediente, casto e pobre, em simplicidade de vida e acolher como dom, os pobres, órfãos, jovens e vocacionados, assumindo essas palavras: “A ti eu deixei o pobre, tu serás a ajuda do órfão”, que pautaram a vida do Pe. José Gumercindo, nosso Fundador. Pedimos humilde e insistentemente vossa graça para podermos realizar nossa missão na Igreja e no mundo, com alegria e fidelidade, envolvidos na glória do Ressuscitado e na comunhão do Espírito Santo. Amém.

D: Sacratíssimo Coração de Jesus,
T: Senhor da Messe e Pastor do Rebanho, nós vos pedimos pela intercessão de nossos padroeiros: a Virgem Senhora das Graças, vossa Mãe que disse ‘sim’ ao plano divino da salvação; São José, vosso Pai adotivo, nosso patrono; São João Bosco, educador da juventude; Santa Teresinha, que se entregou a Vós em oração pela missão; São Judas Tadeu, vosso apóstolo e mártir; São João Batista de La Salle, vosso servo educador; São Vicente, que se dedicou aos pobres; Santo Antônio, vosso confessor missionário e os Santos Anjos da Guarda, que nos amparam no vosso seguimento. Rogamos-vos que os vocacionados e vocacionadas digam ‘sim’ ao vosso apelo “vem e segue-me”, para que vivam radicalmente o Evangelho, iluminados pelo Espírito Santo, especialmente na Sociedade Joseleitos de Cristo, Congregações Santa Teresinha e Divino Mestre, para a vivência do carisma que destes ao Pe. Gumercindo, nosso Fundador. Amém.

D: “Rogai ao Dono da Messe para que mande mais operários.”
T: Pois, a Messe é grande e os operários são poucos.

D: Oração a São José
T: São José, nosso Patrono, que fostes colocado à frente da família terrena de Jesus, a quem contemplamos obediente à Virgem Maria e a vós, trabalhando convosco e sendo conhecido como o Filho do carpinteiro. Volvei o vosso olhar sobre a Sociedade Joseleitos de Cristo. Que a vossa intercessão nos alcances viver em simplicidade, disponível à vocação e missão educadoras e solícitos na caridade. Cuidai de nós com o mesmo desvelo de pai em Nazaré. Amém.

D: José, servo fiel e prudente,
T: Que o Senhor pôs à frente da sua família para dar a cada um o pão a seu tempo.

D: Oremos: Ó Deus, criador do universo, que destes aos seres humanos a lei do trabalho, concedei-nos, pelo exemplo e proteção de São José, cumprir as nossas tarefas e alcançar os prêmios prometidos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
T: Amém.

D: Virgem Senhora das Graças,
T: Mãe bondosa e terna, que nos caminhos da vida sempre me acompanhais com a meiguice do vosso amor e solicitude materna, fazei que seguindo por amor os ditames do vosso Filho Jesus e sentindo o vosso amor de predileção, eu me atire confiante e amorosamente em vossos braços e assim possa empregar todas as minhas energias para o bem da Santa Igreja e pela salvação do mundo. Amém.

D: Pela paz em nossas comunidades: Ave Maria…
T: Santa Maria…

D: “Para Ti, Senhor, estão voltados os meus olhos.”
T: “Não me lances longe da Tua face, Senhor!”

D: São José,
T: Rogai por nós.

D: Actiones: Inspirai, Senhor, as nossas ações e ajudai-nos a realizá-las, para que em Vós comece e termine tudo aquilo que fizermos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Ave Maria…

D: São José,
Rogai por nós.

D: Em nome do Pai…
T.: Amém.

 

D: Agimus: Nós vos agradecemos, Senhor, por todos os benefícios que de Vós recebemos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Ave Maria…

D: São José,
T: Rogai por nós.

D: Em nome do Pai…
T.: Amém.

D: Abençoai-nos, Senhor,
T: E o alimento que vamos tomar para nos manter no vosso santo serviço.

D: Ave Maria…
T: Santa Maria…

D: São José,
T: Rogai por nós


1 – Tempo Comum: Angelus

D: O Anjo do Senhor anunciou a Maria,
T: E ela concebeu do Espírito Santo.

D: Ave Maria…
T: Santa Maria…

D: Eis aqui a serva do Senhor.
T: Faça-se em mim segundo a vossa Palavra.

D: Ave Maria…
T: Santa Maria…

D: E o Verbo se fez carne.
T: E habitou entre nós.

D: Ave Maria…
T: Santa Maria…

D: Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.
T: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

D: Oremos: Infundi, Senhor, a vossa graça em nossas almas para que, conhecendo pela anunciação do Anjo a encarnação de vosso Filho bem-amado, cheguemos por sua paixão e cruz à glória da ressurreição. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
T: Amém.

D: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo,
T: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.


2 – Tempo Pascal: Regina Coeli

D: Rainha do céu, alegrai-vos, aleluia.
T: Pois o Senhor que merecestes trazer em vosso seio, aleluia.

D: Ressuscitou, como disse, aleluia.
T: Rogai a Deus por nós, aleluia.

D: Exultai e alegrai-vos, ó Virgem Maria, aleluia.
T: Porque o Senhor ressuscitou verdadeiramente, aleluia.

D: Oremos: Ó Deus, que na gloriosa ressurreição do vosso Filho, restituístes a alegria ao mundo inteiro, pela intercessão da Virgem Maria, concedei-nos gozar a alegria da vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor.
T: Amém.

D: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo,
T: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

D: Nós vos agradecemos, Senhor,
T: O alimento que nos destes e alcançai-nos a graça de recebê-lo sempre para o bem.

D: Ave Maria…
T: Santa Maria…

D: São José,
T: Rogai por nós.

D: Em nome do Pai…
T: Amém.

(Preferível após o almoço)

D: Em nome do Pai…
T: Amém.

D: Graças e louvores sejam dados a todo momento.
T: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento (3x)

D: Pai Nosso…

D: Comunhão Espiritual:
T: Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo e Diviníssimo Sacramento, amo-vos sobre todas as coisas e vos desejo em meu ser.

D: E disse Jesus: “se alguém me ama, guardará a minha palavra e meu Pai o amará e a ele viremos e nele estabeleceremos morada.” (Jo 14, 23)

(Pausa)

D: Unido a vós,
T: Peço-vos permanecer continuamente em vossa presença. Não permitais que eu me separe de vós. Eterno Pai, eu vos ofereço o sangue preciosíssimo de Jesus Cristo, para reparar os meus pecados e pelas necessidades da santa Igreja e do mundo. Pela Virgem Santíssima, vossa Mãe e Senhora das Graças e por vosso glorioso Pai São José, dai-me ascese digna e mística verdadeira, que me levem seguro, unicamente a vós, meu Sumo Bem e razão de minha vida. Amém.

Canto: Alma de Cristo

Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, purificai-me.
Paixão do Senhor, confortai-me.
Ó Bom Jesus, escutai-me.
Nas vossas chagas, escondei-me.
Não me separe de vós.
Do inimigo, defendei-me.
Na hora da minha morte, chamai-me
E mandai-me ir para vós.
Com vossos santos vos louve no Céu eternamente. Amém.

(Ou a escolha)

D: São José,
T: Rogai por nós.

D: Em nome do Pai…
T: Amém.

D: Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
T: Socorrei-me sem demora.

D: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
T: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

MISTÉRIOS GOZOSOS (segundas e sábados)

  • No 1º mistério, contemplamos a anunciação do Anjo à Virgem Santíssima;
  • No 2º mistério, contemplamos a visita da Santíssima Virgem à Santa Isabel;
  • No 3º mistério, contemplamos o nascimento de Jesus na gruta de Belém;
  • No 4º mistério, contemplamos a apresentação do Menino Jesus no templo;
  • No 5º mistério, contemplamos o encontro de Jesus no templo entre os doutores;

MISTÉRIOS DOLOROSOS (terças e sextas)

  • No 1º mistério, contemplamos a oração de Jesus Cristo no Horto das Oliveiras;
  • No 2º mistério, contemplamos a flagelação de Jesus Cristo à coluna; 
  • No 3º mistério, contemplamos a coroação de espinhos de Jesus Cristo;
  • No 4º mistério, contemplamos Jesus no caminho do Calvário carregando a Cruz;
  • No 5º mistério, contemplamos a crucifixão e morte de Jesus;

MISTÉRIOS GLORIOSOS (quartas e domingos)

  • No 1º mistério, contemplamos a ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo;
  • No 2º mistério, contemplamos a ascensão de Jesus Cristo ao Céu;
  • No 3º mistério, contemplamos a descida do Espírito Santo sobre Maria Santíssima e os Apóstolos; 
  • No 4º mistério, contemplamos a assunção da Santíssima Virgem ao Céu;
  • No 5º mistério, contemplamos a coroação da Santíssima Virgem e a glória dos Anjos e Santos;

MISTÉRIOS LUMINOSOS (quintas-feiras)

  • No 1º mistério, contemplamos o batismo de Jesus no Jordão;
  • No 2º mistério, contemplamos o início dos sinais, as bodas de Caná;
  • No 3º mistério, contemplamos a pregação do advento do reino e o convite à conversão;
  • No 4º mistério, contemplamos a transfiguração no Monte Tabor;
  • No 5º mistério, contemplamos a instituição da Eucaristia;

D: Salve Rainha…

D: Rogai por nós, Santa Mãe de Deus!
T: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

D: Nossa Senhora das Graças,
T: Rogai por nós.

D: Em nome do Pai…
T: Amém.

 

(Preferível antes das Completas)

D: Santíssima Trindade,
T: Pai e Filho e Espírito Santo, nós vos adoramos e oferecemos a nossa memória, inteligência e vontade e tudo que fizemos. Que as nossas comunidades sejam um só coração e uma só alma. Dai-nos a firmeza e a coragem do testemunho evangélico neste mundo ferido pelo pecado do egoísmo e da desigualdade. Que o Evangelho seja a nossa regra suprema. Mantende-nos na alegria do Ressuscitado e na perseverança do caminho do vosso Reino. Amém.

PRECES:
1 – Pela Igreja, pastores e fiéis, para que permaneça unida na fé e na caridade do Espírito Santo, rezemos ao Senhor.
T: Senhor, atendei a nossa prece.

2 – Pelos nossos familiares, colaboradores e benfeitores, que o Senhor lhes conceda saúde, paz e perseverança nas boas obras e na vossa graça, rezemos ao Senhor.

3 – Para que o Diretor e o Conselho Geral, atentos às inspirações do Espírito Santo, nos ajudem a viver em unidade e na fidelidade à nossa missão, rezemos ao Senhor.

4 – Para que as nossas obras e trabalhos, colégios, lares e paróquias, sejam abençoadas e protegidas sob a intercessão de São José e de nossa Senhora das Graças, rezemos ao Senhor.

5 – Pelos pobres e órfãos, aos quais o Senhor ama preferencialmente, para que sejam amparados em suas dificuldades e assistidos na construção de um mundo solidário e fraterno, rezemos ao Senhor.

6 – Que os jovens e vocacionados abracem com alegria e dedicação a sua vocação na Igreja e no mundo, rezemos ao Senhor.

7 – Pela Sociedade Joseleitos de Cristo, Congregações Santa Teresinha e Divino Mestre, para que o Senhor as abençoe, conserve na unidade e fidelidade e lhes envie santas e numerosas vocações, rezemos ao Senhor.

8 – Pelos doentes, agonizantes, encarcerados, desempregados, sem terra e sem teto, os afastados da fé, os que padecem solidão, abandono e desespero, as vítimas da insegurança e dos vícios, para que todo sofrimento seja transfigurado em sinais de vida e ressurreição, rezemos ao Senhor.

9 – Pelos sacerdotes e por todos os que se dedicam pela felicidade do próximo e pelo bem comum, para que se mantenham firmes e perseverantes, rezemos ao Senhor.

10 – Para que os nossos familiares, irmãos e irmãs falecidos, estejam na felicidade eterna, contemplando a Deus face a face, rezemos ao Senhor.

11 – Pelo nosso Fundador, Pe. José Gumercindo, que tendo correspondido aos apelos da vossa graça com uma vida de santidade e virtudes, esteja na alegria eterna convosco, rezemos ao Senhor.

D: Coração Sacratíssimo de Jesus
T: Fornalha ardente de amor, oceano de perfeição e caridade. Vós que nos fizestes compreender a nossa fraqueza e miséria, ensinai-nos a ter piedade de nossos semelhantes e a cumprir fielmente o vosso mandamento: “amai-vos uns aos outros”; fazei-nos ver no próximo a vossa sagrada pessoa e por vossa graça, imitar os vossos desvelos no amor e salvação do mundo. Amém.

D: Jesus manso e humilde de coração,
T: Fazei o nosso coração semelhante ao vosso.

D: São José,
T: Guarda e pai dos virgens sob cuja e fiel proteção a própria inocência, Jesus Cristo, e a Virgem das virgens foram confiados, humildemente vos rogo: que nos façais preservados de toda imundície, com mente incontaminada, coração puro e corpo casto, e nos tornemos templos dignos do Espírito Santo. Amém.

D: Virgem Senhora das Graças,
T: Mãe bondosa e terna, que nos caminhos da vida sempre me acompanhais com a meiguice do vosso amor e solicitude materna, fazei que seguindo por amor os ditames do vosso Filho Jesus e sentindo o vosso amor de predileção, eu me atire confiante e amorosamente em vossos braços e assim possa empregar todas as minhas energias para o bem da Santa Igreja e pela salvação do mundo. Amém.

D: São João Bosco,
T: Incomparável amigo da juventude, que de maneira sobre-humana infundiste nas crianças e jovens o amor à pureza e à caridade, por vossa intercessão, o Senhor nos defenda das ciladas do inimigo e nos ensine a adorá-Lo e a louvá-Lo dignamente. Amém.

D: Santa Teresinha,
T: Mestra da Igreja e do Carmelo, vós que soubestes ler o Evangelho do amor incondicional a Jesus e às pessoas, pela pequena via da humildade e infância espiritual, obtende-nos do Senhor uma visão perfeita da vida e uma ardente caridade, a graça para imitar as vossas virtudes, o prêmio de uma boa morte e a glória do paraíso. Amém.

EXAME DE CONSCIÊNCIA:
D: Diante do Deus justo e santo, examinemos a nossa consciência.

(Pausa)

– Confiando em sua inesgotável misericórdia, apresentemos-Lhe o nosso arrependimento e supliquemos a graça de uma sincera conversão e a busca da reconciliação sacramental.

ATO PENITENCIAL:
D: Confessemos os nossos pecados:
T: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos (e irmãs), que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço a Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos (e irmãs), que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.

SACERDOTE: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.
T: Amém.
Senhor, tende piedade de nós…

(Ou ainda)

D: Tende compaixão de nós, Senhor.
T: Porque somos pecadores.

D: Manifestai, Senhor, a vossa misericórdia.
T: E dai-nos a vossa salvação.

SACERDOTE: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.
T: Amém.
Senhor, tende piedade de nós…

D: “Quanto dista o oriente para o ocidente, o Senhor afasta de nós os nossos pecados.”
T: “O Senhor tem compaixão dos que o temem. Bendize ó minh’alma ao Senhor!”

D: Dai-nos passar esta noite na tua divina e amável presença.
T: “Não me lances longe de tua face, Senhor!”

D: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
T: Para sempre seja louvado!

D: Nossa Senhora das Graças,
T: Rogai por nós.

D: Em nome do Pai…
T: Amém.

Obs.: Reza-se da seguinte forma: substitui-se o Pai-nosso pela Ave Maria e a Ave Maria pelo Pai-nosso.

D: Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
T: Socorrei-me sem demora.

D: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
T: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

D: Creio em Deus Pai…

  • Na 1ª dezena, agradecemos ao Pai Eterno por termos nascido num país cristão;
  • Na 2ª dezena, agradecemos ao Pai Eterno por termos sido batizados;
  • Na 3ª dezena, agradecemos ao Pai Eterno por termos feito a nossa primeira comunhão;
  • Na 4ª dezena, agradecemos ao Pai Eterno por termos sido crismados;
  • Na 5ª dezena, agradecemos ao Pai Eterno por termos sido chamados à vida religiosa e sacerdotal;

D: Pelos méritos da paixão, morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo,
T: Dai-nos, Senhor, a graça da perseverança final.

D: São José,
T: Rogai por nós.

D: Em nome do Pai…
T: Amém.

Canto: Deus de maravilhas

Deus de Maravilhas,
Senhor dos Senhores,
Pelos pecadores,
Te aniquilastes;
Gozo dos perfeitos,
Deus de eterna luz,
Ímã dos eleitos,
Ó meu Bom Jesus.

1. Minh’alma ferida
Pela imane dor,
Quer ser protegida
Pelo Deus de amor.
Uma doce calma,
Um santo vigor,
Transfunde em minh’alma
Jesus, meu Bom Senhor.

2. Coração Sagrado
Do meu Salvador,
Doce filomela
Para o pecador.
O meu triste canto,
Os clamores meus,
Não mereço tanto,
Mas leva aos pés de Deus.

D: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T: Amém.

Oração: Jesus, amável Salvador, humildemente prostrados a vossos pés, imploramos vossa divina misericórdia por nós e pelos fiéis defuntos. Aplicai-nos os méritos de vossa sagrada Paixão e dai-nos a graça de abraçar como Vós, todas as contradições, sofrimentos e humilhações desta vida. Virgem das Graças, ensinai-nos a trilhar como Jesus o caminho sagrado da cruz. Amém!

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Stabat Mater dolorosa
Juxta crucem lacrimosa
Dum pendebat Filius.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

 1ª Estação

Jesus por nós teve a sorte
De ser condenado à morte.

Considera que Pilatos,
Na pessoa de Jesus,
Condena-te, pecador,
À dura morte de cruz,
Imita, pois sua paciência
E o amor a penitência.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelas vítimas dos tribunais humanos.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Cujus animam gementem,
Contristatam et dolentem,
Pertransivit gladius.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

  Estação

 Jesus nos ombros chagado
 Toma a cruz de teus pecados.

Considera, ó pecador,
Como a Divina Bondade
Entrega-se a tanto horror
Somente por caridade
Alivia os teus iguais
Nas agonias fatais.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelas pessoas caridosas.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

O quam tristis et afflicta
Fuit illa benedicta
Mater Unigeniti

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

 3ª Estação

 Sob o madeiro pesado
 Cai Jesus desanimado.

Tu não vês, ó pecador,
Que teus enormes pecados
Pesam mas que aquela cruz,
Naqueles ombros sagrados?
Considera tanta dor.
Levanta o teu salvador.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelas pessoas desanimadas no caminho da virtude.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Quae maerebat et dolebat,
Pia Mater, dum videbat
Nati poenas inclyti.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

4ª Estação

Na estrada dolorosa,
Vê Jesus sua Mãe chorosa.

Também tu, ó pecador,
Que busca na turba estranha
A migalha de um amor,
Considera dor tamanha.
Ama então os deserdados,
Os pobres desamparados.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos abandonados, desempregados e sem teto.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Quis est homo qui nom fleret,
Matrem Christi si videret
In tanto supplicio?

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

5ª Estação

Simão toma de Jesus
A sua pesada cruz.

O Deus que sustenta o mundo,
Prostrado e sem coragem,
É do estrago profundo
Do pecado, fiel imagem,
Ajuda o teu Salvador
A curtir tamanha dor.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos viciados.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Quis non posset contristari,
Christi Matrem contemplari
Dolentem cum Filio?

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

6ª Estação

Verônica ante os judeus,
Enxuga a face de Deus.

Considera essa mulher,
Que de medo não padecia,
Como só em Israel
Enfrenta a tirania.
No sudário, a heroína
Contempla a face divina.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelas obras católicas.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Pro peccatis suae gentis
Vidit Jesum in tormentis,
Et flagellis subditum.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

7ª Estação

Cai por terra com fragor
Outra vez o Salvador.

Considera que o soldado
Quer soerguer o Senhor
Para vê-Lo sobraçado
Ao madeiro redentor.
Dolorosa é a lição
Da nojenta ingratidão.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelas pessoas ingratas e caluniadoras.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Vidit suum dulcem natum
Moriendo desolatum,
Dum emisit spiritum.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

8ª Estação

Jesus consola fiel
As filhas de Israel.

Ó pecador, se tu choras,
Contigo chora o Senhor.
Se o perdão tu imploras,
Mitigas tua mesma dor.
Vê nas filhas de Salém
A tua imagem também.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelas pessoas aflitas e compassivas.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Eia Mater, fons amoris,
Me sentire vim doloris
Fac, ut tecum lugeam.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

9ª Estação

Terceira vez cai Jesus
Esmagado pela cruz.

Já no cimo da Colina
Cai Jesus horrorizado,
Ao pensar que enorme crime
Vai ali ser consumado.
Oh! pecador deicida
Por que não mudas de vida?

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos presidiários e maltratados.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Fac ut ardeat cor meum
In amando Christum Deum,
Ut sibi complaceam.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

10ª Estação

Sob os olhares dos réus
É despido o Rei dos céus.

Quem vestiu a natureza
De pudor e de pureza,
Vê-se despido assim,
Em meio de gente ruim.
Sim, Jesus, meu Salvador,
De nós só queres o amor.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos impuros para que voltem à decência cristã.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Sancta Mater, istud agas,
Crucifixi fige plagas
Cordi meo valide.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

11ª Estação

Sob o madeiro pesado
O Bom Deus é pregado.

Mãos que fizeram portentos,
Nas terras de Israel,
São entregues aos tormentos
Sob o martelo cruel.
Pecador que ingratidão
Serpeia em teu coração.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos criminosos e ladrões.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Tui nati vulnerati,
Tam dignati pro me pati
Poenas mecum divide.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

12ª Estação

Criador do orbe terrestre,
Morre na cruz, o Mestre.

Ao discípulo bem-amado
Recomendando Maria,
Gemendo todo o criado,
Entre Jesus em agonia.
Perdoando ao bom ladrão,
Jesus te perdoa cristão.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos sacerdotes e pela conversão dos pecadores.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Fac me tecum pie flere,
Crucifixo condolere,
Donec ego vixero.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

13ª Estação

Para a Virgem sem conforto
Descem da cruz o Senhor morto.

Depois de abraçar a morte,
Melhorando a nossa sorte,
Dos braços da cruz descia
Para os braços de Maria.
Pecador tua sorte pois,
Está nos braços deles Dois.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos fiéis defuntos.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Juxta crucem tecum stare,
Et me tibi sociare
In planctu desidero.

D: Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi,
T: Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.

14ª Estação

Em seu sepulcro, José
Põe Jesus de Nazaré.

Pecador arrependido,
Depois de morto é descido,
Jesus tem grande intenção:
Morar em teu coração.
Lembra sempre com amor
A Paixão do Salvador.

D: Rezemos um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, pelos perseguidores da Igreja.

D: Miserere nostri, Domine.
T: Miserere nostri.

D: Virgem Santíssima, não permitais que eu viva e morra em pecado mortal.
T: Em pecado mortal não hei de morrer, porque a Virgem Santíssima me há de valer.

Quando corpus morietur,
Fac ut animae donetur
Paradisi gloria. Amem.

D: Salva-nos Cristo salvador, pela virtude de tua Cruz,
T: Que salvaste Pedro no mar, tende piedade de nós.

D: Oremos: Olhai, Senhor, vos suplicamos sobre esta família, pela qual nosso Senhor Jesus Cristo não hesitou em entregar-se às mãos dos malfeitores e aceitar os tormentos da cruz. Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos. Amém.

Obs.: Reza-se um Pai-nosso, Ave Maria e Glória ao Pai, na intenção do Sumo Pontífice para a aquisição das santas indulgências.

D: O Auxílio divino permaneça sempre conosco.
T: E com os nossos irmãos ausentes. Amém.

D: Oremos pelo nosso Santo Padre, o papa (N.)
T: Que o Senhor o conserve com muitos anos de vida, felicidade na terra e com zelo o proteja contra a maldade dos seus inimigos.

D: Tu és Pedro,
T: E sobre esta pedra edificarei a minha Igreja.

D: Oremos: Deus pastor e guia de todos os fiéis, olhai propício o vosso servo o Papa N., a quem constituístes Pastor de vossa Igreja e fazei que por palavras e exemplo edifique os seus súditos, afim de que chegue à vida sempiterna com o rebanho que lhe confiastes. Por Cristo, Senhor nosso.
T: Amém.

D: Oremos por nosso Bispo (N.)
T: Que ele permaneça firme e apascente o seu rebanho na vossa fortaleza, Senhor, na sublimidade de vosso nome.

D: Tu és sacerdote para sempre,
T: Segundo a ordem de Melquisedeque.

D: Oremos: Ó Deus que velais sobre o vosso povo com bondade e o conduzis com amor, dai o Espírito de sabedoria e a abundância de vossas graças a vosso servo N., a quem confiastes o cuidado de nossa direção espiritual, para que ele cumpra fielmente junto de nós os deveres do ministério sacerdotal e receba na eternidade a recompensa de um fiel dispensador. Por Cristo Senhor nosso.
T: Amém.

Canto: Tão sublime sacramento

Tão sublime sacramento
Adoremos neste altar,
Pois o Antigo Testamento
Deu ao Novo o seu lugar.
Venha a fé, por suplemento,
Os sentidos completar.
Ao Eterno Pai cantemos
E a Jesus, o Salvador.
Ao Espírito exaltemos,
Na Trindade eterno amor.
Ao Deus Uno e Trino demos
A alegria do louvor. Amém.

D: Do céu lhes destes o Pão (Aleluia)
T: Que contém todo sabor (Aleluia)

D: Oremos: Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento nos deixastes o memorial de vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continuamente os frutos da redenção. Vós, que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.
T: Amém.

(Procede-se à bênção do Santíssimo Sacramento. A seguir, todos rezam:)

T: Bendito seja Deus.
Bendito seja o seu santo nome.
Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
Bendito seja o nome de Jesus.
Bendito seja o seu Sacratíssimo Coração.
Bendito seja o seu preciosíssimo sangue.
Bendito seja Jesus no Santíssimo Sacramento do altar.
Bendito seja o Espírito Santo Paráclito.
Bendita seja a grande mãe de Deus, Maria santíssima.
Bendita seja a sua santa Imaculada Conceição.
Bendita seja a sua gloriosa Assunção.
Bendito seja o nome de Maria, Virgem e Mãe.
Bendito seja São José, seu castíssimo esposo.
Bendito seja Deus nos seus Anjos e nos seus Santos.

D: Deus e Senhor nosso,
T: Protegei a vossa Igreja. Dai-lhe santos pastores e dignos ministros. Derramai as vossas bênçãos, sobre o nosso Santo Padre, o Papa; sobre o nosso (Arce)Bispo [e seu(s) Bispo(s) Auxiliar(es)], sobre o nosso Pároco e todo Clero; sobre o chefe da Nação e do Estado e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade, para que governem com justiça. Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei, com os efeitos contínuos de vossa bondade, o Brasil, este (arce)bispado, a paróquia em que habitamos, a cada um de nós em particular e todas as pessoas por quem somos obrigados a orar, ou que se recomendaram às nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis, que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna. Amém.

(Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai).

D: Graças e louvores sejam dados a todo momento.
T: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento. (3x)

HINOS AO CORAÇÃO DE JESUS

I) Coração de Jesus adorável

1. Coração de Jesus adorável,
Vida encanto das almas fiéis.
Teu olhar compassivo e amável,
É remédio pras chagas cruéis.
Tuas palavras, tua luz, teu semblante,
Imantados de amor celestial,
Dão vigor à progênie gigante
Contra a sanha ferina do mal.

Combatamos decididos,
Nas fileiras do Rei de amor.
Que seremos os queridos
Benjamins de Jesus Salvador (bis).

2. Nosso amor extremado não cesse
De sonhar com o Jesus no Altar:
Esse amigo fiel enlanguesce
Se nos vê no batel a vogar;
Em seu peito é a vida um sorriso,
É um botão desabrochando em flor.
Certamente só no Paraíso,
Há mansão mais pejada de amor.

II) Deus de maravilhas,

Deus de maravilhas,
Senhor dos Senhores,
Pelos pecadores,
Te aniquilastes;
Gozo dos perfeitos,
Deus de eterna luz,
Ímã dos eleitos,
Ó meu Bom Jesus.

1. Minh’alma ferida
Pela imane dor,
Quer ser protegida
Pelo Deus de amor;
Uma doce calma,
Um santo vigor,
Transfunde em minh’alma
Jesus, meu bom Senhor.

2. Coração Sagrado
Do meu Salvador,
Doce filomela
Para o pecador.
O meu triste canto,
Os clamores meus,
Não mereço tanto,
Mas leva aos pés de Deus.

III) Oh! Senhor, doce Rei de minh’alma

1. Oh! Senhor, doce Rei de minha’alma,
Dá-me a calma que aos santos seduz.
Neste vale de horror e de pranto,
Teu encanto me arrima, ó Jesus.

Cada vez que rezei na aflição,
Na oração, descobri teu amor.
Oh! Momentos de luz e de paz
Que bem faz rezar bem, ó Senhor.

2. Ao cair das pobres ilusões,
As paixões se calaram também.
Só tu hoje imperas no peito,
Satisfeito de que te quer bem.

3. Coração de Jesus, terno amigo,
Eu contigo feliz hei de ser.
Minha vida será toda Tua,
Doce ou crua, será até morrer.

HINOS A NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

I) Salve, Senhora das Graças

Salve, Senhora das Graças,
Salve, ó Mãe do Bom Jesus!
Tua candura, imaculada,
Traz o riso e traz a luz (bis).

1. Nas colinas e nos vales,
Do Nordeste e do Sul,
Aparece a Mãe das Graças,
Envolvida em manto azul (bis).

2. Dos seus olhos piedosos
Muitas lágrimas derrama,
Pelo bem dos pecadores
Seu coração se inflama (bis).

3. Ela traz uma mensagem
De ameaças e perdão.
Aconselha a penitência,
A piedade e a oração (bis).

4. Virgem Senhora das Graças,
Salva, pois o teu Brasil.
Traz paz às nossas almas,
Mil favores, graças mil (bis).

II) Virgem das Graças

Virgem das Graças, Boa Senhora,
Por mais que faças a toda hora,
O protegido que te implora,
Diz sempre assim: ‘tem pena de mim’.

1. Nas horas duras das amarguras,
Nos transes tristes do meu penar,
Ó Virgem Bela, lúcida estrela,
Impera as vagas do negro mar.

2. Quando ao meu lado, negro pecado,
Ao desespero quer me impelir.
Ó Virgem Santa, piedade tanta,
Faze que aclare o meu porvir.

3. Dura miséria, voz delectéria,
Nos corações, impinge o mal,
Ó Virgem Pia, Senhora minha,
Salva teu filho do tremendal.

III) Mãe da Verdade

1. Mãe da verdade,
Rainha dos mortais,
Da cristandade
O sol que brilha mais.
Tua candura, tua formosura,
Nos alcandores de Deus,
Tem, nos céus, risos celestiais (bis).

A teu filho, neste exílio,
Vem ó mãe, ó vem guiar,
Que sozinho no caminho,
Muito fácil é desgarrar (bis).

2. Teu filho pede
Mais uma graça alfim.
Oh! Mãe concede
Jamais me torne ruim.
Longe o pecado, triste e malvado
Sob o teu manto de luz, me conduz
De hoje até o fim (bis).

IV) Minha Mãe Querida

1. Minha Mãe Querida,
Mãe do Belo Amor!
Luz de minha vida
Aceita o meu louvor.
Grande mãe de Deus,

Aurora de esplendor!
Atende a minha prece,
De mim te compadece,
Em nome do Senhor (bis).

2. Eu sou um pecador
Que implora o teu favor,
Ó Mãe do Belo Amor!
Virgem das Graças, meu terno amor,
Teu carmesim trescala de fervor.
Oh! Doce encanto do meu sonhar
Sob teu manto quero estar.

V) Céus e terra vinde

1.Céus e terra vinde,
Vinde pressurosos.
Entoar os hinos,
Hinos maviosos,

À Virgem das Graças,
Mãe tão meiga e pura,
Íris de ventura no vale da dor (bis).

2. Oh! Virgem Maria,
Virgem Bela e Pia.
Oh! Porto seguro para meu batel;
‘Strela de bonança,
Minha Esperança
No combate duro e cruel.

VI) És Filha de Deus

És Filha de Deus,
És Mãe de Jesus,
És porta dos céus,
Na eterna luz (bis).

1. Quando Deus firmava
As bases do mundo.
Alguém já brincava
No abismo profundo;
Já Ela existia,
A Virgem Maria (bis).

2. Quando Adão e Eva
Na labe caíam.
As serpes das trevas
De alguém já fugiam;
Já Ela existia,
A Virgem Maria (bis).

3. Quando no deserto
Ao povo judeu.
Um fogo bem perto
De noite esplendeu.
Já Ela existia,
A Virgem Maria (bis).

4. Raquel e Judith,
Suzana e Esther,
Não há quem imite
Aquela mulher;
A santa judia,
A Virgem Maria (bis).

VII) Há no Céu alguém que é divinal

1. Há no céu alguém que é divinal,
Sem ser Deus tem toda perfeição.
Bela como a estrela, ela é tão singela
Toda ela é um coração (bis).

Mãe querida, minha vida
É uma pira em teu louvor,
Flor que exala e trescala
O mais puro e suave odor (bis).

2. Se o Nazir, morreu por nós na cruz,
Miriam sofreu por nós também.
Foram eles dois os nossos heróis,
Os heróis do novo Éden (bis).

VIII) Doce Mãe da Santa Igreja

1. Doce Mãe da Santa Igreja,
Dá que eu veja o teu amor.
Faze, desçam à minh’alma
A calma, a paz e o fervor.

Maria, ó Mãe Bondosa,
Oh! Bela rosa de Jericó.
Quem te ama, verá, sem véu,
Bem lá no céu,
Teu excelso esplendor.

2. Volve a nós o teu semblante,
Radiante de caridade.
Oh! Perdoa as nossas culpas,
São culpas da mocidade.

IX) Mãe de bondade infinita

1. Mãe de bondade infinita,
Espelho de luz divinal,
Sêde fiel e bendita
Do mais luzido fanal.
Sob tua égide acolhe,
Sob teu manto azulado,
A quem tão necessitado
Por fiadora te escolhe (bis).

2. Quando a inerme criancinha
Que ’inda não balbucia
Estende sua mãozinha
Para a mamãe que a vigia.
Cedo aquela criatura
Cheia de encanto celeste,
Acode logo tão preste
Com adorável ternura (bis).

3. Agora Mãe dos Prazeres,
Uma promessa te faço:
Se a graça me fizeres,
Se me livras do embaraço,
Sempre serei teu bom filho
No pranto ou na alegria
Sempre um filho de Maria
Amar-te-ei neste exílio (bis).

X) Como frouxa luz no sol

1. Como frouxa luz do sol,
Como a estrela luz no céu,
Tu, Maria, és o arrebol,
Que nos faz ver a Deus no véu (bis).

Os anjos lá no céu cantando,
Os homens neste val chorando,
Todos entoam os seus louvores,
Terna Mãe dos pecadores (bis).

2. Tem a luz sob os pés
E as nuvens por andor,
Linda flor dos água-pés,
Satura de inebriante olor (bis).

3. Teus olhares cor de céu,
Teu sorriso como mel,
Alivia o pobre réu
Que destila o triste fel (bis).

4. Nesta vida a soçobrar,
Tábua és de salvação,
Para o filho que a penar
Te chamar de coração (bis).

HINOS AO PATRONO, SÃO JOSÉ

I) Ó glorioso São José

1. Ó glorioso São José
De ternura filial,
Dai-me força, dai-me fé,
Contra os embustes do mal;
Nesta vida tão cansado,
Sem a tua mão a me reger
Fortemente amargurado
’Stou já a desfalecer (bis).

2. Ó tutor do Bom Jesus,
De Maria foste o sol,
Pra meus olhos sê a luz,
De meus passos o farol.
Se o furor da tempestade
Assombrar o meu viver,
Grande Pai da Cristandade
Vem logo me socorrer (bis).

3. Ó José, querido santo,
Sê a luz do meu olhar
Minha estrela, o meu manto,
Para-raios do meu lar.
Quando já desalentado
Me iludir o tentador,
Corre logo pra meu lado
Protetor do Salvador (bis).

II) Santo da humildade

Santo da humildade,
Bondoso São José,
Dá-nos caridade
E traze-nos a fé.
Tua inocência
Mereceu de Deus,
Grande indulgência
Pra os pecados meus (bis).

1. Defensor dos cristãos do universo,
Sob o manto de tua proteção.
Deves nos amparar
Volve a nós teu olhar
Com terna afeição (bis).

2. Guardador dos tesouros de Deus,
De Jesus, de Maria tutor.
Eu te peço com fé,
Querido São José,
Sê meu protetor (bis).

III) São José, ó vinde asinha

São José, ó vinde asinha,
Atender os rogos meus
Sêde a luz de quem caminha
Rumo aos páramos dos céus.

1. Vosso ofício é tão preclaro,
Santo esposo de Maria.
Dos humildes sois amparo,
Dos errantes sois o guia.

2. Grande herói do esquecimento,
Doce pai e protetor,
Assisti meu sofrimento,
Minorai a minha dor.

3. Amigo dos pobrezinhos,
Da pureza sois fanal,
São José, vossos filhinhos,
Ó livrai de todo o mal.

HINOS A SÃO JOÃO BOSCO

I) Ave, pai da mocidade

1. Ave pai da mocidade,
Da piedade pioneiro,
Oh! Concede prazenteiro
Lá do céu os teus favores.
Nos caminhos desta vida,
Tão dorida, quão brutal,
Sê-nos luz esclarecida,
Frente ao sopro do ideal.

Oh! Dom Bosco uma plantinha,
Quero ser do teu vergel,
Dá que seja a vida minha
Tua cópia bem fiel (bis).

2. Ave, pai da juventude,
Da virtude luminar,
Salve anjo tutelar
Da pureza juvenil.
Teus conselhos, teu exemplo
Eu contemplo com ardor,
Revivendo os tempos idos
Dos dias do Salvador.

II) A Dom Bosco, nossas almas

A Dom Bosco, nossas almas,
Teçam hinos com fervor,
Reverentes nossas palmas,
Lhe demonstrem o nosso amor.

1. Só quem vive esta vida singela
E tão bela, que o santo viveu,
Saberá o que é juventude
E virtude que leva até o céu (bis).

2. Grande santo, ó pai carinhoso,
Oh! Glorioso e esperto fanal,
Dá que eu vença na arena da vida
A partida do bem contra o mal (bis).

III) Oh! Santo do trabalho

Oh! Santo do trabalho
E da união com Deus,
Oh! Manda o teu orvalho,
As tuas graças lá dos céus.

1. A turba te implora,
Na hora da desdita,
Aguarda a voz bendita
Que atende sem demora.

2. Amigo dos meninos,
Pai eterno e caridoso,
Oh! Faze-me piedoso
Cantando-te meus hinos.

3. Amaste a pureza
Com tanta perfeição
Que a todo coração
Lhe falas de beleza.

4. Ó pai da mocidade
Que estuda e que trabalha,
A tua luz espalha
Sobre nossa cidade.

IV) São filetes de luz deslumbrante

1. São Filetes de luz deslumbrante,
São parcelas de amor e de prece,
Estes dias que lembram as glórias
Do bom pai que nossa alma estremece.
Somos filhos do grande Dom Bosco,
Batalhamos pelejas do amor
Pela pátria, por Deus, pela vida
Dos irmãos, pelejamos com ardor.

2. Ó Dom Bosco, Ó pai extremoso,
Dos teus filhos aceita o penhor,
Nosso peito vibrante é uma seta
Que de instante se eleva ao Senhor.
Este dia na tua coroa
Um brilhante engasta de amor,
A memória do teu nascimento
Já nos lembra o triunfo maior.

3. Está data pra nós brasileiros,
Traz lembranças de eras de fada,
A essa pátria, Dom Bosco, regala
Nova idade de paz benfadada!
Sempre avante queremos teu nome,
Pelas terras do grande Brasil,
Oh! Concede que seja altaneiro
E pendão auri-verde gentil.

HINOS A SANTA TERESINHA

I) Graciosa Teresinha

1. Graciosa Teresinha,
Da humildade jardineira,
Sentinela verdadeira
Dos caminhos do Senhor;
Quem te ama de verdade
Na ansiedade e na dor
Há de ir na claridade
Da luz do bom Redentor (bis).

2. Minha Santa Teresinha,
Grande filha do Carmelo,
Cuida com todo desvelo
Dos eleitos de Jesus.
Nas misérias desta vida
Todo engodo nos seduz.
Ouve os rogos desta turba
Esmagada pela cruz (bis).

3. Tuas rosas olorosas,
Oh! Derrama tuas flores,
Sobre nós, os pecadores,
Desabrocha o teu sorriso.
Desce asinha, lá do alto,
Lava o pranto e traze o riso
Do jardim do paraíso,
Para o nosso padecer (bis).

II) Ó Santinha do Carmelo

Ó Santinha do Carmelo,
Novo hino com ardor,
Da corrente, eis mais um elo,
Que nos prende a teu amor.

1. Um dia ’inda criança
Tu leste um “T” no céu,
No céu de tua França,
Inicial do nome teu.

2. Tua vida foi singela,
Passou-se por encanto,
Sobeste ser tão bela
Como uma flor aos pés de um santo.

3. No céu hoje tu moras,
Ditoso serafim,
Passando as tuas horas,
Louvando a Deus com amor sem fim.

III) Ao florir do rosal

1. Ao florir do rosal,
Do rosal do teu jardim,
Sentias Teresinha
Amor de serafim (bis).
Se olhavas pra os céus,
Se olhavas para o mar,
Se pisavas na terra
Tua vida era amar.
Amar assim,
Amar sem fim…

2. Quanto bem tu querias
Ao Doce e Bom Jesus,
Que morreu desolado
Na cama de uma cruz (bis).
Tu então, no teu Éden,
Catavas Teresinha,
Pra ofertar ao teu Bem
A mais linda florinha.
Amar assim,
Amar sem fim…

3. Lá no céu com certeza
Ao lado de Jesus,
Ao ver tanta beleza
Nadando em tanta luz (bis).
Teu amor mais e mais,
Crescendo sem cessar
Subindo em espirais,
Jamais diz é demais.
Amar assim,
Amar sem fim…

HINOS A SÃO JUDAS TADEU

I) Ó Apóstolo de Cristo Jesus

1. Ó Apóstolo de Cristo Jesus,
Grande luz que na Síria esplendeu.
Luminar da Arábia e da Pérsia,
Que em Edessa por Cristo morreu.
Tu que as iras das cobras desvias,
E a agonia transmudas em riso,
Dá guarida ao fiel que te implora,
Na má hora da dor, teu sorriso.

Primo de Jesus, São Judas Tadeu,
Dá-me a tua bênção, dá-me o teu céu;
Voz dos peregrinos neste val de pranto,
Ouve os nossos hinos, grande e nobre santo.

2. Tua família brilhou no Evangelho,
Como espelho de dedicação.
Pai e mãe e irmão tudo deste
Ao Mestre da nossa Redenção;
Quais centelhas tangidas aos ventos,
Teus portentos nos ferem de amor,
Nobre santo, nós te amamos tanto,
Teu encanto é a esponja da dor.

II) No anil das areias do mar

1. No anil das areias do mar,
Teus joelhos sangraram de dor
Quando a noite inteira a rezar,
Adoravas teu Deus e Senhor.

Meu São Tadeu,
Santo dos aflitos,
Ouve meus gritos,
Vem do céu me socorrer.

2. Tu lidaste na liça de Deus
Com ardor, que a todos supera,
Com as vistas voltadas para os céus
Desfraldaste a Santa Bandeira.

3. Teu triunfo no juízo final
Vai ser grande ao lado do Mestre.
Julgar todos os filhos do mal,
Que empestaram o orbe terrestre.

HINO A SANTO ANTÔNIO

Portugal te viu crescer menino

1. Portugal te viu crescer menino,
Paladino te fizeste ali,
Religioso, sacerdote dino,
Atraías toda gente a ti;
Tua pátria generosa e bela,
Tua estrela, Antônio, teu amor
Oh! Deixaste como sentinela
Frente às batalhas do teu Senhor. (bis)

Favo de eloquência,
Santo do conselho.
Pai da inteligência,
Turba do Evangelho.
De Jesus menino,
Amigo ditoso.
Escuta meu hino,
Santo glorioso.

2. Anelando o martírio sangrento
E o portento de ser paduano,
Te fizeste o mais belo instrumento
E fermento do ideal franciscano;
Oh! Me ensina teu zelo, teu ardor,
Teu amor as batalhas de Deus,
Para eu seja merecedor
Do penhor lá do alto dos céus. (bis)

HINO AO ANJO DA GUARDA

Anjo santo, guarda de minha vida

1. Anjo santo, guarda de minha vida,
Do bom Deus, mensageiro fiel.
Nesta luta tão insana e renhida,
Dá que eu vença, contra o fero Lusbel.

Combatendo, que eu não seja combalido,
Mas, lutando, que ele seja o vencido.
Anjo santo, meu encanto,
Meu guardador leal.

2. Os perigos, meu Custódio refuta,
Oh! Me escuta pioneiro da fé
E na rude agonia da luta,
Faze sempre que eu fique de pé.

3. Finalmente, no momento da morte,
Dá-me a sorte de ver a Jesus
E aplaudido pela feliz corte,
Triunfante, eu me cubra de luz!

HINO A SÃO JOÃO BATISTA DE LA SALLE

Meu são João Batista de La Salle

1. Meu são João Batista de La Salle,
Meu amável e santo protetor.
Deixa que nesta hora eu te fale
Do meu triste saldo devedor;
Té já devo os fios da cabeça,
Preciso de ti meu bom senhor.
Minha conta vale uma promessa.
Escuta as preces de um pecador.

Ó meu bom santo, enxuga meu pranto,
Sê meu escudo, sê minha valia.
Ser-te-ei grato por toda a vida,
Na dura lida de todo dia.

2. Modelo do bom educador,
Padroeiro dos religiosos,
Assiste-nos com seguro amor
Nestes tempos tão calamitosos;
Nos campos da França onde nasceste,
Fundastes escolas para os pobres,
Arrimo do humilde te fizeste
Apesar de seres um dos nobres.

HINO A SÃO VICENTE DE PAULO

São Vicente, feitor da caridade

1. São Vicente, feitor da caridade,
Da orfandade tutor e da viuvez.
Dos velhinhos amparos de verdade
Foste o grande operário das Galés;
Tanta luz derramaste na Igreja
Com teu exemplo de fé e de amor,
Que essa luz, esse amor hoje viceja,
Para os pobres, na seara do Senhor.

2. A avalanche perversa contra o bem,
Força a Igreja a lutar para vencer
Com denodo, com luta ela obtém
O que tu realizaste ao combater;
Nesse mundo merece quem lutar,
Nesse mundo, só vence quem sofrer.
Contra o mal, vencerá só quem rezar
Pelo bem, quem sofrer há de vencer.

3. Teu ardor, na peleja sacrossanta,
Suscitou seguidores do ideal.
Assim nasce, assim cresce e se agiganta,
Tua obra, tua luta contra o mal;
Ó meu santo, a minha lida é tanta,
Tua luz seja sempre o meu fanal.
Ó me ampara, ó tu me alevanta,
Nesse fosso do grande tremedal.

HINO DEDICADO À EUCARISTIA

Sob o azul deste céu, neste dia

1. Sob o azul deste céu, neste dia
Com alegria cantamos, Senhor,
A epopéia mais linda da história:
A vitória do Deus do amor;
Deus que é pão, Deus que é vinho, que é vida
E é guarida do povo além.
Oh! Mistério de um Deus humanado
Sempre ao lado dos filhos do bem.

No mistério da Eucaristia,
Noite e dia te adoro, Senhor,
Nesta hóstia tão branca e tão pura
Oh! Ventura, está o meu Salvador. (bis)

2. Quando um dia Pilatos pergunta:
O que é a verdade, Rabi?
A resposta tu deste na hora,
No silêncio foi: “Estou aqui”.
O Evangelho, escrínio da cruz,
Só traduz a lição do Senhor.
Deus não mente, Deus é a verdade
Oh! Bondade do meu Salvador.

3. Deus traçou para o homem um caminho
Mais de espinhos que flor ele é.
Quem carrega com amor sua cruz,
Em Jesus há de sempre ter fé.
Pobre filho de Adão que tu és,
Por amor, tudo então sofrerás
Perrengando nas duras estradas
Nas pegadas de um Deus andarás.

4. Sou caminho, verdade, sou vida
Nesta lida, ó pobre viajor,
Sou teu arrimo, teu amparo seguro
Bem que duro seja teu suor.
Tens em mim, na peleja renhida
Todo amor que só um Deus pode dar.
Tens a luz que aclara teus passos
Bem que lassos no teu caminhar.

HINO DA SOCIEDADE JOSELEITOS DE CRISTO

Hino oficial dos Padres e Irmãos Joseleitos

1. Entoemos um hino vibrante,
Estuante de santa ansiedade.
Ao tutor de nossa Sociedade
Ao glorioso e bom São José.
Grande artista que tanto seduz
Os humildes obreiros da terra
Que manejam a plaina e a serra,
Irmãozinhos do Infante Jesus.

Ó José, tu que a Deus ensinavas
Teu ofício lá em Nazaré.
Oh! Me ensina na tua oficina
Tua virtude, labor e tua fé (bis).

2. Ó esposo fiel de Maria,
Protetor que no Egito lidaste.
Dá-me a dita que sempre me afaste
Do engodo e perfídia do mal.
E na agrura do último lance,
No momento supremo da morte,
Dá que eu seja um leão bravo e forte
E contigo pra sempre descanse.

HINO DA CONGREGAÇÃO SANTA TERESINHA

Hino oficial das Irmãs Teresinhas

1. Dos canteiros do céu desce um dia,
A florinha gracil de Lisieux,
A santinha que Deus já antevia
Dar-lhe-ia glorioso troféu;
Repetindo os gestos da Igreja,
Para inveja dos séculos incréus,
Teresinha se faz pioneira
Nas batalhas do povo de Deus.

Salve, Santa Teresinha,
Casta jóia de bondade,
Sê a grande Padroeira,
De tua sociedade (bis).

2. Tuas filhas vestidas de branco,
Trazem o franco ideal de servir.
Pelo amor que o Cristo lhes pede,
Têm a sede de amar e instruir;
Outra glória sorri para a terra
Nesta guerra de espalhar o bem,
Nova cruz recamada de flores,
Traz olores descidos do Éden.

HINO DA CONGREGAÇÃO DIVINO MESTRE

Hino oficial das Irmãs Divino Mestre

1. Somos filhas do Mestre Divino,
Batalhamos peleja da fé
Nossa vida é um canto, é um hino,
Ao Rabi, Jesus de Nazaré (bis).

Circulistas, pra frente o teu lema:
Ação, Reação e Oração.
Seja o brado, seja lei suprema
Que te alcance a feliz perfeição (bis).

2. A orfandade será tua pupila,
Desde o berço, até a idade senil.
Onde há desamparo és ancila,
Anjo branco serás do Brasil (bis).

 

ORAÇÃO PELA BEATIFICAÇÃO DO SERVO DE DEUS PE. JOSÉ GUMERCINDO SANTOS

Ó Santíssima Trindade, ornastes o vosso Servo, Padre José Gumercindo, com as virtudes evangélicas da humildade, da simplicidade e do zelo apostólico.

Como sacerdote educador, dedicou-se com grande caridade aos pobres, configurados especialmente nas crianças, nos jovens e vocacionados.

Concedei-me, por sua intercessão, a graça que tanto necessito (pedir a graça). 

E, segundo vossa santa vontade, ele venha a ser elevado à honra dos altares, para vossa glória e o bem da Igreja e do mundo. Amém.

(Rezar um Pai Nosso, Ave Maria e glória à SS. Trindade)

Com aprovação eclesiástica

Assine Nossa Newsletter

Endereço

Sociedade Joseleitos de Cristo
Casa Geral “Pe. Gumercindo”
Rua Prof. Luís Anselmo, 99  (Luís Anselmo)
CEP.: 40.260-485 – Salvador – BA

© Copyright Sociedade Joseleitos de Cristo. Feito com por